CRIS VALADA

Desabafos

Teus olhos, me mostram

Tua alma.

Vejo teus conflitos 

E a dúvida se realmente me quer

Não te obrigo a nada

Nunca te obriguei

Simplesmente decida

Como homem

Maduro ou será imaturo?

Se me quer este último dia

Cansei

De esperar, suas promessas 

Onde há sempre a dúvida

Hoje vejo

a ilusão 

E me peço  perdão 



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.