Viglio Schneider

Aluamento

Beijo que dura é beijo maduro,

Beijo surpresa, beijo gostoso.

 

Gostoso como teus lábios,

Só mesmo teu cheiro, teu toque e afago.

Vontade de delirar contigo,

Um beijo no queixo, pescoço e umbigo.

 

Gostoso como teu beijo,

Só mesmo teu gosto e teu jeito.

Só quero lembrar do tempo contigo,

E dos sussurros ao pé do ouvido.

 

Gostosa, por isso te mordo,

Pele com pele, para além do que é morno.

Olho teu corpo desnudo e te agarro,

De frente, de lado, de costas te esquento.

 

Gemido suave, molhado e intenso

As unhas na pele, aperto seus seios.

Te saboreio toda, enquanto me aperta entre as coxas.

Delirando de excitação.

 

Busco de novo tua boca,

Você toda louca me empurra pro lado

Sentando em meu colo de olhos fechados

Entrelaçando as mãos.

 

Profundos e consistentes movimentos perenes

De quatro eu meto, gemidos ecoam pela escuridão.

Com calma intensa, te tocas, tu gozas e se deleita,

Como uma Deusa em aluamento, se contorcendo de satisfação.

 

 

 



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.