Jorge Roberto di Paula

DEPOIS DO AMOR

Roupas abandonadas

descansam no chão frio;

Um gemido ficou dependurado

em um dos cabides;

Em teu rosto estampado

uma porção do azul

que restou;

Na cama

as marcas recentes

de um amor derramado.

Comentários1

  • Lilian Fátima

    Sucinto e muito intenso na expressividade. Parabéns



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.