Kris Rô

Metamorfose

Sabe aquele momento em que paramos para reviver alguns fatos de nossa existência.
Pequenas coisas, gestos simples que marcam toda uma vida, vivemos de lembranças.
Estamos há todo tempo vivendo grandes, ou pequenas transformações, as vezes passamos grande parte da vida se rastejando como lagarta, outros passam muito tempo em um casulo.
Mais é essencial passar rápido por essa metamorfose e transformar-se em borboleta.
A borboleta voa e segue seu rumo, sem perca de tempo.
Esse é um exemplo de vida, ninguém nasceu pra rastejar para sempre, nem pra se esconder.
Nós temos que viver, voar, colorir o mundo com nossa existência.
Passar pelo processo é fundamental!
E quando tudo chegar ao fim, será eterna as lembranças e o lugar onde pousamos em nossos vôos, será o local da nossa história.
Estaremos ali, bem onde queríamos, sem medo, ou arrependimentos.
Só revivendo momentos e tendo a certeza de que foi feito tudo o que estava ao nosso alcance.
Rastejei como lagarta
Vivi no casulo
E com orgulho, voei
Como borboleta.

Comentários1

  • Viglio Schneider

    Metáfora da impermanência! S2

    • Kris Rô

      Sim! Tudo é passageiro:)



    Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.