Marçal de Oliveira Huoya

Encontro

Porque não existe

Um pensamento original sequer

Uma vez escritos

Como aves de arribação

Eles se lançam no ar

E se espalham pelo mundo

Dispersos pelo universo

Casualmente pela arte

Eles se encontram e se reconhecem

Aqui e ali

Em determinados momentos propícios

Da alma e do coração

E se confraternizam repercutindo

Num Ahh silencioso

De descoberta ou de identidade

Alguns nem sabem

Para os que passam batidos

Sem se aperceber

Até o dia do encontro

Será muito triste passar pela vida

Sem a constatação

Da igualdade pela diferença

Em se deixar sentir... 



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.