mars

ânsia

É esse pesar que me faz sentir tanta saudades 

saudades de amor

saudades de me deixar em segundo plano 

porque dói de mais me priorizar 

dói porque em algum momento eu me acolhi, me escolhi

e escolher dói 

mas, dói mais ainda não o fazer 

e tudo se trata de dor, dor de viver 

dor de não viver 

dor de ser feliz 

e dor de não ser 

e a saudades que me mata são várias 

me sinto perdida 

perdida como tanto desejei 

perdida porque me ter é apavorante 

é apavorante minha ânsia por viver 

é apavorante minha ânsia por mim mesma 

é apavorante minha ânsia de simplesmente ansiar por mais 

então eu me encontro aqui perto, perto de mais de mim 

e em silêncio porque tenho medo de finalmente falar comigo de novo 

olhando para minhas trágicas escolhas que não são mais que o mínimo 

sem saber se lamento ou agradeço

eu não sou o'que desejei, não estou como desejei que estaria 

mas ainda sou eu de novo aqui, sozinha 

talvez agora numa solidão menos doída  

- a todos aqueles cheios de ânsia 

 



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.