ego

Meu medo.

Não sei o que sentir num dia como este, devido a uma aula que um grande argumento trouxeste, este grande vazio que eu já sentia, me desceu a garganta, a doída que me fizeste

Não saber o que sentir é a pior parada, com medo de não melhorar me afundo em um mundo totalmente ruim, me encontro numa situação completamente despreparada, longe de tudo e todos aqueles que um dia me aclamará

Na aula, senti um gosto ruim no paladar, o simples sentimento de não conseguir voar... Me vi completamente instável, prestes a, em qualquer momento desabar. Que seja começar a chorar, gritar... algo dentro de mim estava prestes a se espernear! 

Mais uma vez, um momento em que me encontrei totalmente instável, fico pensando até quando esse sentimento ruim ficará em mim guardado... será que um dia conseguirei viver confortável..?

Se sim, por que as vozes nunca me falam sobre ele? elas nunca me questionam sobre o possível próximo dia feliz que eu posso vivenciar, mas sim sobre a grande dor que eu sinto na pele... Queria um dia talvez, esses pensamentos gerenciar, mesmo difícil, os controlar

E desejo, mais uma vez que essa noite não seja um "longo dia" de fraquejo.

 

 



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.