Karla Salvatore

Anestesia

Nada real, marionete me sinto
Tudo ilusão, anestesia ao coração
Mundo no qual não vejo sentido
Seu príncipe me põe totalmente rendido

"Supro sua carência, faço-te doutor
Experiências incríveis com todo o ardor
Veja você mesmo como é divertido
Só precisa estar para mim disponível"

~~
Mas há um rei
A quem o príncipe se curva
E às marionetes
Oferece ajuda

Ele é poderoso
Ele é independente
Mas ainda insiste
em se importar com a gente
~~

Ele trouxe luz pra minha escuridão
Dissipou o caos que dominava meu coração
Elegante e calmo, do jeitinho que Ele é
Trouxe paz à minha mente, suavizou a maré

Flashbacks me lembram quem eu fui
As imposições e as submissões
Ronda o medo de voltar a ser quem era
Mas a força renasce em orações

~~
Mas há um rei
A quem o príncipe se curva
E às marionetes
Oferece ajuda

Ele é poderoso
Ele é independente
Mas ainda insiste
em se importar com a gente
~~

Depois de se acostumar à escravidão
É luta constante em dizer à mente e ao coração
Que hoje sou livre, que sempre fui amado
Eu não sou mais escravo, eu não sou mais escravo



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.