offduzzer21

Laminas da Criação

Achei que estas escamas

Haviam se despedaçado.

Agora sou eu quem estraçalho.

Me descasco, mas há Nada,

Nada para morder, nada para surpreender,

Nada para (descobrir).

 

Quebrada a mascara, agora o Carrasco

Vêm à tona. Me desonra, me desmonta.

O Carrasco que me acompanha desde

O pó, desde o Nada, desde o sofrimento.

Achei que as correntes estavam em seus pés,

Ao invés dos meus. Me engano, estado de pranto.

 

Os ossos cresceram, os tumores nasceram,

Mas toda a podridão continua, continua no fundo.

Amor, felicidade, (sentimento digno),

Nenhum destes posso ter. Fui enganado pelas

Suas cópias, amargas como a Morte,

Deliciosas como o corte,

Mas mortais de tão fortes.

 

Preciso entender antes de ser entendido,

Preciso me preencher antes de descer,

Preciso ser antes de resplandecer,

Preciso beijar a Morte antes de ver a Vida.

  • Autor: offduzzer21 (Offline Offline)
  • Publicado: 23 de Dezembro de 2021 04:53
  • Categoria: Não classificado
  • Visualizações: 23

Comentários1

  • Priscila Ribeiro

    Parabéns, Luís Otávio. Lindo poema..



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.