Matheus Penteado

Meu Tempo


Eu quero romper as amarras do tempo,
Saber que cada dia teve suas glórias e suas lágrimas
E então descansar,
Os dias iluminados são tão tristes, quanto as noites escuras podem ser felizes,
E as palavras que se couberam ali, são duradouras,
Meus erros e meus acertos não estão em um dia
Estão no tempo.
Em um tempo que eu ousava acreditar,
Em um tempo que eu ousava ser feliz
Em um tempo que não existe mais para mim.

Comentários1

  • Maria dorta

    Meu tempo era restrito e cheio de impedito'rios.
    A ideia do certo e errado era mandatório
    Vivíamos cercados pela ideia de purgatório
    Tudo era pecado, o sexo fora do casamento
    Levava a ser mal falada ou ir para o inferno,um tormento!
    Hoje,toda a permissão social chegou a um extremo tal
    Não sabemos mais o que é normal ou anormal.
    Tudo está na zona do " normal'. E ponto final,!
    Maria Dorta



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.