Ueslei Fatareli

MALAGUETAS & BROMÉLIAS

A origem da vida é um magnífico mistério,
e ser nela um ser, o maior de todos os testes.
Os que nascem estão sujeitos ao cemitério,
e, antes dele, a malaguetas em omeletes. 

Nessa viagem há coisas que deixam marcas,
lembranças que não se apagam de todo.
E isso é assim, e disso ninguém escapa,
seja você ateu, religioso, sábio ou incauto. 

Alguns dizem que têm medo de fantasma,
mas que não têm nenhum de si mesmos.
Tem quem de amuletos enche a sua casa,
quem não fala às claras e tem o rabo preso. 

Há os que vivem empoleirados nos outros,
e que tiram vantagem de ricos e pobres.
Tem quem pareça ser são, mas, é louco,
pois em si próprio não vê nada de podre. 

Todavia, felizmente, nem tudo é tragédia,
embora elas cheguem e chacoalem muito.
Também há lágrimas que regam bromélias,
e lugares áridos que encantam o mundo.

Comentários1

  • vic andrade

    Muito gostosinho de ler essa mistura de questões existenciais com itens cotidianos, como malaguetas e omeletes. Parabéns pela obra =)

    • Ueslei Fatareli

      Grato por ler e comentar Vic. Um fraterno abraço!



    Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.