Artur Curadete

Grotescas sensações

Grotescas sensações

Sentes como o sol queima a tua pele?

Sentes como o vento gélido esfria a tua alma?

É como aquele dolorido amor que te compele;

 

Sentes o frio do amor?

Sentes o queimar da algidez?

É como aquele dolorido “pelo amor” que te impele.

 

Sentes que sentimos mais do que conseguimos suportar?

É uma sensibilidade grotesca que só nós podemos degustar;

Um gemer de frio no inferno;

Um arder de fogo no inverno...

Comentários1

  • Shmuel

    Muito gracioso e com gostoso ritmo poético.
    Parabéns poeta, Artur Curadete.

    • Artur Curadete

      fico muito lisonjeado com o comentário, encoraja-me a escrever cada vez mais, obrigado poeta, Shmuel



    Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.