Samuel Knevitz Silveira

Amargo vício

Sua essência era amarga
Seu aroma, inconfundível
Por seus lábios manava em afluência
A cada sorvo, um toque aprazível



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.