Maria dorta

Incongruências

Por que não digo o que penso

quando discordo

das coisas que não me dizes?

Acostumei- me sem pódio. 

Sigo meu protocolo

de omissão,auto- punição. 

Finjo o que sou,sendo

Por trás  de mim mesma

me escondendo.

Não me peças  explicação. 

Na tua cara estou lendo

toda tua desaprovação. 

Não concordas  com meu jeito

de caramujo ser,interiorizada

Viver na carapaça 

E querer que tu me desfaças

me redesenhe

como se Da Vinci fosse

Assim eu teria os defeitos

que,um dia,acharias feios.

 Mas, eu seria perfeita

tu me acharias linda

Enfim,eu seria a mulher de teu jeito!

 

Maria Dorta  26- 04,-2021

 

  • Autor: Maria dorta (Pseudónimo (Offline Offline)
  • Publicado: 26 de Abril de 2021 22:34
  • Comentário do autor sobre o poema: Brincando com palavras...
  • Categoria: Não classificado
  • Visualizações: 26

Comentários1

  • Helena Rodrigues

    Belíssimo poema, minha querida
    Viver numa carapaça, tem sido o meu jeito...pra defesa....

    Grande abraço



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.