Isollina Barboza

Amor que se move

No calor do encontro, ela o esperava, com batom vermelho na boca, sorriso no rosto e olhar apaixonado.
Ao chegar, ela pulou em seu colo com seu vestido de seda branco, dando-lhe as boas-vindas com um beijo reconfortante e o espumante nas mãos para comemorar mais um dia de união.
Quando ele abriu aquele espumante, com um aceno e as taças nas mãos, eles se serviram ao som da MPB na sala, a caminho do quarto em sua cama ele parou.
Sentado olhando para ela, com um sorriso agradecido, a mulher que o fazia feliz só por estar ali perguntando como foi seu dia.
Ele beijou sua boca, sem dizer nada, em uma mistura de amor infinito, foi o amor mais lindo que ela já conheceu.
Trocando olhares e carinho, passaram horas, ela sabia amar como ninguém.
Adormeceram, acordaram abraçados, com voz rouca e desjejum na cama, ela disse bom dia, beijou-lhe a boca, voltando a ama- lo.

Comentários1

  • Ariane Campos Oficial

    Felizes as pessoas que amam e sabem que são amadas.

    • Isollina Barboza

      Sim, lindas palavras, me fizeram refletir e adoro refletir sobre as variáveis do pensamento.
      Às vezes você tem que se reinventar, olhar de todos os ângulos e depois descobrir que o amor nunca esteve longe.



    Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.