Mesla32

Aniversário do nosso término

                                                                         

Porque não paro de pensar em ti?

Porque não sais da minha cabeça?

Ainda tenho as tuas coisas.

Porque ainda tenho as tuas coisas?

 

Essas coisas olham para mim em forma de lembranças

Acho que eu não te quero tirar da minha cabeça.

Quando eu te conheci, julguei que o nosso Hoje

duraria Para Sempre.

 

Tu disseste que eu era a única pessoa que amavas

Mas as palavras começaram a tornar-se vagas.

Parece que voltamos para o inverno,

porque lá fora está muito frio.

 

Quando foi que tu saíste da minha vida?

 Porque foste embora da minha vida?

Tu não pensaste em mim, foste egoísta.

Porque eu fico assim toda vez..., tão sem norte.

 

Nesses dias penso toda hora em nós,

No nosso aniversário de término.

Eu penso no dia do nosso aniversário de término,

será que ao menos pensas em mim?

 

 As minhas esperanças ficam cada dia mais fortes,

afogo me nas mensagens que tu visualizas.

Definitivamente não consigo esquecer o sabor dos seus lábios,

Não te quero deixar sair da minha cabeça.

 

Mas eu sou ninguém pra prender-te,

Num amor do passado.

Só resta-me pedir a Deus,

Pra abençoar a tua vida.

 

Nunca te quis mal, sempre estive na mecha.

Que tu e ele juntos concretizem o que nós não concretizamos.

Que tenha, pôr do sol, banho de chuva

E vento na cara.

 

Que fazem Amor, no meio da estrada.

Eu desejo-te tudo isso e muito mais.

 

Eu ainda vou lembrar do dia do nosso término.

Mas vou querer sempre que sejas feliz.

 

Espero de verdade que sejas feliz.

Com ou sem mim, mas que sejas feliz.

Eu vou sair de cena, só pra não te causar problemas.

Porque amar é...

 

Amar é deixar ir, desejo-te tudo de bom que há.

Mas, que tenhas uma generosa memória.

Só pra tu lembrares, que comigo seria bem melhor.

 

 Sobretudo, amar é...

Amar é deixar ir. Ainda que doa.

 

                                                                                               Bambi Refúgio

 

 

 

 

 

 

 



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.