santidarko

Revoluções cavalgadas em ondas vocais


Salve,Nobre cavaleiro;
...cujo o rubro brasão em porte-dorso,resplandeces em sua armadura de prata ao Sol.
Cujo, o fio-corte de vossa espada,és de luta indefinida aos meus olhos em berço-crisol.


Retirais o elmo que oculta vossa consciência e,mostrai o humor de tua Face.
A negra máscara  de vosso puro-sangue,ofusca olhares,mesmo a quem,...
simpatiza para com animais de fiel-porte em vidas enlace.


A terra-chão em adornos com folhas de cerejeira,dá a teu caminhar,
o mistério e beleza,

a desembainhar.



 Dizem...ó  príncipe do desconhecido,que indignações e mudanças,nascem em porões e sótãos;mesmo em dialéticas fraturadas por pêndulos e bigornas ;por vozes em passos perscrutadores.

 

As teias de aranhas emaranhadas nesses covis desmerecidos,são como: ligações nervosas e neurônios, a irrigar esperanças a sonhadores!

 



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.