Marçal de Oliveira Huoya

Cubo Mágico

A poesia

Não é meramente 

Um jogo de palavras 

Servos versos 

Letras escravas 

Caprichos, impulsos

Surtos de vaidade 

A poesia é o que tem cheiro

Que tem viscosidade 

Consistência de lágrimas 

Ou de suor, 

Leveza e intensidade 

Deformidade e beleza 

Simplicidade 

De um gesto só 

São humores

Dos amores 

A saliva do beijo

O sangue do rubor 

A cor e a secreção 

Do desejo 

Exala perfume

Ou odor de decomposição 

Faca de dois gumes 

De convite

Ou provocação 

Se não lhe toca

Nem lhe rasga

Nem lhe afaga

Nem lhe choca

Não tem emoção 

É um monumento inútil 

Ao sentimento fútil 

Um forasteiro 

Surdo, cego e mudo 

Embaralhando tudo

Sem comunicação...

Comentários2



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.