Marçal de Oliveira Huoya

O Futuro

O futuro é um lugar escuro

Mesmo porque

A gente não pode ver

Não me aventuro

Em adivinhar o que irá acontecer

O futuro começa já

Aliás, chegou ainda agora

Mas ele mal chega e já vai embora

Aliás nem tem meia hora

Que o futuro é passado

Mal cheguei

Onde marquei o encontro

E ele sempre apressado

Que de pressa passou do ponto

Tinha corrido mais para frente

Olhou para trás, todo afobado

Fica aí com o presente

E eu correndo atrás

E ele indiferente

Gritei, vem cá rapaz

E ele fugindo de mim

Na distância do horizonte

Sempre mais adiante

Parecendo que chegava ao fim

Eu sempre para frente

Ignorando o presente

Um relógio que não colabora

O tempo não passa

Mas o relógio anda toda hora

Faça o que eu faça

O futuro sempre demora

Mas o futuro continua fugindo

Viajando no tempo

Foge de mim, vai sorrindo

Por que você não aproveita o momento?

Não olhe para trás

Não perca um minuto

Viva se for capaz

O presente não tem substituto...



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.