santidarko

A proporção áurea de sonhos

Minhas negras asas,de  desejos antes caídos;
...alcei meus pensamentos,na ponta de uma flecha,
para buscá-los em meus novos caminhares,
...a conhecimentos Futuros e feridos.


Alimento meu Frankenstein...
criado e costurado,com meus Eus de épocas vividas.
A partir de hoje Presente,faça seu Passado,

... mesmo ante a um cerne de feridas.

Todos os sonhos,vêm quando estamos na escuridão;
a proporção áurea da imaginação.


O confessar ao vento do inverno,
em  noites ,da força em seu consterno.
Em todas as ruas,há um Destino,

mesmo a alguém, em disfarce do bramado clandestino.



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.