santidarko

O sedentarismo do prazer

Aquela velha caixinha de pensamentos,sob uma espiral de dimensões;
desdobra-se...
transborda a imaginação lavrada ao chão,com úmidos diversos;
...vibráteis extensões.



Como um animal em invernal busca,
deito-me com a cabeça entre minhas apendiculares superiores,
aguardando,
o Mundo me espelhar ,um novo desejo á minha jovem rebusca.


Salvas bucólicas,
em ruínas que ainda se escoram em velhos aprendizados;
...abarrotados.
Túmulos assíduos,
sobrepostos uns aos outros,
com o odor de um  despreendido e seco cordão umbilical ,
em uma transcendência de chances, melancólicas.



Migalhas,
formidando amanhãs de cinzas;
com o correr entre sorrisos descritos,

ao adocicar de benzedrinas.



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.