santidarko

A trincheira doméstica e os invisíveis arames farpados do recém-Mundo

Nos internos diálogos,com o fundo do palco em turvo posto;
(...)não há Niilismos,não há comportamentos e sentimentos replicantes,
á nova Aurora que despontara.
Não trouxera á vida,
...Tempos e vivências,embebecidas em conservantes.


O valorar ao poço,anteriormente cavado,
ao suor do aprendizado,
esse sim...
foste sorvido ao desponte da incerteza e do dedilhar estigmatizado.


Sempre,
hão de vir...
feridas e cicatrizes;
que escorrem ouvidos a dentro,
como um pensar em líquido,projetado pelas Metamorfoseares do lamento.




O embarcar dos nichos  da imersa tristeza;
ao estrondar da possível perda da Mente e sua Alteza,
não és uma possibilidade;
O cavalo,sempre estivera selado...
para o cavalgar de uma existência ofertada,noutro tempo sem o sorriso da felicidade.



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.