Estevao cantuaria costa

Sonhei com coxinho

SONHEI COM COXINHO

Era noite
Após muitos anos me encontro
No meio de uma mutidão alegre
Gente enfeitada com chapéu e roupas brilhosas

 

O barulho das matracas arrepiavam meu corpo
Quando alguém gritava ( urou) acompanhada com um lindo sílvio de apito
As matracas paravam seus sunidos
Uma voz forte começava a repentiar ( urou urou , urou urou , o novilho brasileiro que a natureza criou)

 

Era ( COXINHO e o boi de Pindaré ) alegrando a multidão
Cantava Repentes do fundo da alma da gente
Cantando nossa história, alegrias e sofrimentos
Mexendo com a alma de cada santaineisense

 

Quando percebi onde estava
No meio do bumba meu boi de matraca
Onde as letras não fogem da alma
Com meu chapéu brilhante e com uma estrela na testa
Começava a dançar ...

 

De repente me encontrava na escuridão deitado num colchão pela madrugada
Era apenas sonho
Sonho que me levam a minha história pregressa.


                                                                                           CANTUARIA

Comentários2

  • Regina

    Que maravilha de poema, parabéns

    • Estevao cantuaria costa

      Foi um imenso prazer homenagear coxinho , um pindareense de mãos cheias ...obrigado

    • Ernane Bernardo

      Bela homenagem em forma de poema, parabéns. Bom dia.

      • Estevao cantuaria costa

        Bomdia amigo
        Abraço...
        Sugiro que conheça ( coxinho)o maior cantador de toadas do bumba meu boi do Maranhão, terá uma visão mais ampla da homenagem .
        Abraço forte meu amigo.

        • Ernane Bernardo

          Sim vou conhecer mais sobre coxinho. Abraço



        Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.