santidarko

O carrossel de vozes cerebrinas


Aquele hálito de temor,
-que paira no frio da lacuna á volta-
...com a pele em fervor!


Cerebrinas conjuras de Eus,
sepultados em gélidos e em incorruptos apogeus;
escarradas em vias vis.


Gládios,domados diante de Hienas rebeldes e servis;
...alucinações de contínuas sortes,
nuances apodrecidas,ao passar de brumas em portes.


O atravessar de hortes com guarnecidos joguetes,
em pisares,sobre palafitas;
...o fracasso de heróis,
são os encantos sorrisos,de perdidas vozes explícitas!



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.