Edla Marinho

Vaidade

 

 

Abro uma gaveta e lá está ela

No canto num abandono voluntário.

Imagem de um passado,tão bela

Assim guardada,não faz aniversário.

 

Sempre me bate uma saudade

Do tempo de olhar inocente

Sem me preocupar com idade

De  beleza quase imponente.

 

Sedutora em pele morena

Como de anjo, esculpida face

Silhueta sempre pequena

Não tinha quem não olhasse.

 

Resolvendo  encarar a realidade

Nas mãos, a empoeirada imagem

Me enche de gostosa vaidade:

Beleza madura, estou em vantagem!

 

  • Autor: Edla Marinho (Pseudónimo (Offline Offline)
  • Publicado: 28 de Janeiro de 2021 23:04
  • Categoria: Não classificado
  • Visualizações: 17

Comentários4

  • Maria dorta

    Retrato da vaidade feminina: imbatível! É no retrato nunca envelhecemos! Chapéu!

    • Edla Marinho

      Isso mesmo Maria Dorta, pelo menos eu não me vejo com a idade verdadeira, sempre me vejo ainda muito jovem e mais bonita.
      Obrigada pela sua atenção aos meus escritos!

    • Rosangela Rodrigues de Oliveira

      Acho que todo mundo tem essa vaidade guardada em algum lugar... Belo poema...Parabéns poetisa...

    • Jose Fernando Pinto

      Maravilhoso querida Edla, parabéns!

    • Ernane Bernardo

      Belo poema Edla, Que tenhamos sempre um pouco de vaidade, seja mulher ou homem, não é necessário exagerar na dose, e assim poderemos morrer quando chegar o dia mais feliz e mais jovens! Ótimo final de semana, abraços



    Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.