santidarko

As cores que vêm do espelho



Acasos do dia,
refletidos em fitos de despotismos sublinhados;
vãos cuidados...

em aconteceres,
.. prévias ou amorteceres.


Olhos,que douram o servilismo do destino,
das liberdades escamadas, ou em camadas da generosidade;
...com  a agrura e o desatino.


Brilhos,que caem em bênçãos sortidas,
de sonhos,em braços outrora cansados;
...emissões de crenças, em asas feridas.


A desgraça,
não traja luto ou se põe em roxos,
..não emoldura, travos ou doxos.
Vejo,cores de  opalescências,
sem um amanhã,de sentidas auroriais condolências!

Comentários2

  • Victor Severo

    Bravo.

    • santidarko

      OBRIGADO Victor!

    • Dis Brito

      Forte e Belo!

      • santidarko

        OBRIGADO Dis.Prazer em conhecê-la!



      Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.