LIDIA LORENA

Desmerecimento

Eu não mereço seus sorrisos ou suas mãos tão estendidas 
Melhor seria se seus olhos se voltassem pro outro lado e seus pés te levassem pro lugar de onde vieste, sem remorso de abandono afinal, sou cão sem dono e me acostumo à solidão

 Pois não mereço tua presença preocupada com meus olhos cheios dágua que não choram por tua causa, felizmente, digo, sempre, meu lamento alcança ouvidos já sofridos, que afirmam que me entendem, mas o problema é que comigo o amargor vem de repente e como faz pra não sentir?

 Como faz pra não sentir ?



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.