Sandro Paschoal Nogueira

FRUGAL

#FRUGAL

Gosto de ser chama ardente...
Ser e pensar diferente...
Tenho medo de ser frugal...
E como a tantos...
Pensar tão igual...

O que sou, haja vista meu instinto...
De ser todo desejo...
E do amor, mesmo que me cause medo...
Sentindo por completo...
Me entrego...

Em taça meus sonhos beber...
E na surpresa que eu saiba o que sinto...
Para a vida se abrir em largo sorriso...
Até quando sóbrio me apresento...
Desfruto em vagos momentos...

Não tenho riso fácil...
Réu confesso...
Para onde vou, haja vista que tenho...
Meu caminho a encontrar...
Quando o relógio der as horas...
Sentarei e desfrutarei...
De um bom vinho velho...

E pensarei cá comigo...
Que nem sempre fui sutil...
Porém que sempre fui eu...
E não um idiota útil...

Sandro Paschoal Nogueira



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.