Pedro Trajano de Araujo

Zé tramela

Zé tramela

E dona Portela

São os pais de Maribela

Zé tramela gosta de inventar

Dona Portela adora cozinhar

A paixão de Maribela é estudar

 

Depois do rio de agua turva

Onde o vento faz uma curva

Moram o casal e Maribela

É lá que o seu Zé tramela

Faz os seus experimentos

Com as plantas da esposa Portela

 

O homem danado para inventar!

A família já tem horta e pomar

Onde fruta vira legume

E o que é doce pode amagar

Lá nem tudo é o que parece

Não tem placa que esclarece

 

Certa vez a filha Maribela

Recebeu os amiguinhos da escola

A criançada se divertiu à beça

Descobrindo que nada era o que parecia

Virou brincadeira, todos queriam acertar

Mais era preciso experimentar

 

Mas que beleza!

Aninha descobriu

Que a laranja era framboesa

Da cara de Henrique dava dó

Quando ele mordeu a pitaya

E sentiu o gosto de jiló

 

Maria Clara

Ficou espantada

A goiaba era jabuticaba

Cada uma que seu Zé tramela inventa

Ariel enxugou as lágrimas com lenço de papel

Descobrindo que o abacaxi era pimenta

 

Priscila não se conformava

Até pegou o celular

Para no google pesquisar

A menina não achou nada

Então foi questionar dona Portela

Como pode o pepino ser seriguela?

 

Foi grande o espanto

Da pequena Lu

Ali açaí virou caju

Engraçado foi o Fernando

A graviola era carambola

Acertou e ficou se gabando

 

A melhor amiguinha de Maribela

Figurinha carimbada da turma

Fez o maior drama, até chorou

Os outros riam da sua manha

A simpática Ani errou feio

Uva não era uva era castanha

 

Até o seu João

Motorista do ônibus

Rendeu-se a brincadeira

Mordeu o melão mas era limão

Fez uma cara feia que deu medo

Quando sentiu aquele gosto azedo

 

Cuidado menina! Maribela avisou Joaquina

Os espinhos da rosa estão na nectarina

Depois de errar mais de uma vez

Victor fez uma tremenda cara de tristeza

Primeiro não percebeu que abobora era pera

Também não entendeu como caqui virou cereja

 

Estela era especial

Todos correram para abraçar

Quando ela resolveu participar

Maribela se manteve por perto

Fez questão de a coleguinha ajudar

Isto é inclusão! É hora de enturmar

 

A curiosa Rebeca

Grudou no seu Zé tramela

Perguntou feito tagarela

Até descobrir o segredo

Correu contar para sua priminha Alana

Como é que o quiabo virou banana

 

Roberto e Maria ficaram indignados

Com o que viram por aqueles lados

Manga que virou pitanga

É melhor sair da sombra do coqueiro

Melancia agora produz lá no altão

Enquanto o coco rasteja pelo chão

 

Seu Zé tramela foi a turma chamar

Dona Portela tinha terminado de cozinhar

Então era hora de almoçar

A criançada combinou com Maribela

Para um outro dia, talvez fim do ano, voltar

Trariam a professora Cláudia para com eles brincar.

 

Pedro Trajano de Araujo

07 janeiro 2021

Penápolis SP

  • Autor: Trajano (Pseudónimo (Offline Offline)
  • Publicado: 7 de Janeiro de 2021 18:43
  • Comentário do autor sobre o poema: Desta vez resolvi escrever um poema infantil. Espero que gostem meus amigos poetas.
  • Categoria: Infantil
  • Visualizações:

Comentários3



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.