Dis Brito

Encontro de almas

Entre tantos olhares

Meus olhos viram os teus.

Sem promessas

Sem certezas

Sem futuro

Construímos nossa ponte particular

Na qual atravesso todos os dias

Para viver

Quimeras de um coração que pulsa

Por uma vida

Além da vida

Por um amor

Além do amor.

Corpos que vibram

 No toque  das mãos

Sonhadas mãos

Amados corpos.

Somos almas desgarradas do mundo

Meus olhos te sonham

Teus olhos me seguem

E assim caminhamos

Na certeza incerta

De um encontro marcado

Todas as noites

Em que acendes em mim

A chama do desejo

De um dia sentir teu gosto

Misturar-se ao meu.

 

Comentários2

  • Egard Yosefh

    Nossa! Coisa de quem ama profundamente.

  • Zaira Belintani

    "Que não seja imortal, posto que é chama, mas que seja infinito enquanto dure" Vinícius de Moraes

    Parabéns, belo poema, Dis Brito!

    • Dis Brito

      Obrigada, Zaira.
      Viver intensamente a vida!
      Abraços fraternos



    Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.