//meuladopoetico.com/

Hébron

Lancinante

 

Peço, insisto, não despreze meu drama
a dor lancinante, angústia que me devora
sarcástica, a morte sadicamente demora
Rezo, acolha-me, minha lágrima clama

 

Meu peito aberto, sofrido coração devastado
desdita, queda, choro de um derrotado
um infortúnio proclamado por seu desdém
Açoite, tortura, sangue que jorra hemorrágico

 

Abstenho-me da vingança, resguardo-me porém
meu melhor sentimento não fica, agora é a ira
em maldição, tormento do coração trágico

 

no enfrentamento dos desafios da árdua lida
sinto a brisa, paredes do abismo que me correm verticais
Amargurado, sem luz de fim de túnel, sem sinais