//meuladopoetico.com/

Ruan Vieira

Mundo tecnologicamente banal

 

Como é triste a alegria

de quem interpreta

Ou força um sorriso que era pra ser natural

Como é feia a beleza

De quem, esteticamente, se submete ao artificial

Como é estranho olhar pro lado

e ver gente tão industrial

Tão distante do real

Da naturalidade

Mais pertos do virtual

Do mundo da superficialidade

Trocando o contato físico

Pelo contato digital

Num mundo tecnologicamente banal.