//meuladopoetico.com/

Ivan

UMA BUZINA INTRUSA

A buzina do automóvel

Alcançou os redemoinhos das gentes

Que estavam no círculo vicioso da noite

A fomentar as iniquidades da vida

Como se mazelas fossem ouro ou diamante.

 

Em cada gargalhada notava-se a hipocrisia

E nas palavras prolatadas os miasmas

Das inconsequências turbulentas dos idiotas.

 

Jogava-se fora o tempo por desocupação,

Perdendo as oportunidades do silêncio

E perturbando o repouso dos artistas.

 

Nas heresias tantas que ofuscavam a realidade,

Percebia-se a natureza fraudulenta do destino.

 

DE  Ivan de Oliveira Melo